Imprimir conteúdo  imprimir   
Enviar página por email  enviar   

Fitur2012 - Madrid global, Portugal com artes e letras

São cinco dias de encontro global do sector turístico. A 32ª edição da Feira Internacional de Turismo de Madrid abriu esta manhã portas. Isto numa casa que arruma em mais de 60 mil metros quadrados, nove mil expositores, 167 países e as aspirações do sector para os próximos meses. Até 22 de Janeiro Portugal também espreita oportunidades na capital do país vizinho. A representação portuguesa, encabeçada pelo Turismo de Portugal, traz fado, arquitectura, literatura a uma feira que aposta no turismo sustentável, nas novas tecnologias e em segmentos emergentes.

Café Portugal | quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012

O epicentro do turismo global aponta neste 18 de Janeiro para a capital espanhola com o arranque da 32ª edição da Feira Internacional de Turismo em Madrid (FITUR). Até ao próximo domingo, 22 de Janeiro, altura em que encerra o certame é difícil dizer se é a capital espanhola que acolhe a FITUR ou se é esta que domina e absorve o quotidiano da cidade.

Falam os números: taxa de ocupação hoteleira a 100% na capital (dados da organização, a IFEMA), delegações provenientes de 167 países, número de visitantes a alcançar a cifra dos 200 mil, muitas línguas e culturas. Em si, a feira, conta com 67 mil metros quadrados de exposição (75 mil metros quadrados em 2011), onde assentam mais de nove mil expositores provenientes de todos os continentes e de áreas de actividade tão diversas como a cultura, operadores turísticos, agências de viagens, companhias de transportes, hotelaria; representações oficiais espanholas e estrangeiras, associações profissionais.

Uma Babel do turismo com escala global. Isso mesmo não se esquece repetidamente de lembrar a Organização Mundial de Turismo (OMT) nesta FITUR 2012. Recorda em todos os recantos da exposição a Rota da Seda e associa-a a uma marca turística, decorrente do mítico encontro comercial e cultural entre o Oriente e o Ocidente. A mesma OMT ainda há pouco tempo recordava que quando 2012 findar, o número de turistas internacionais à escala global atingirá um novo máximo: mil milhões. Actualmente o número é de 940 milhões de viajantes. Como principais responsáveis por este acréscimo, as economias emergentes, nomeadamente as asiáticas. Tendência que, de acordo com a OMT, deverá manter-se até 2030.

A mostra internacional, que este ano mantém os habituais cinco dias de exposição, encolheu contudo em área. Um corte de 10% na exposição que decorre, essencialmente, da redução nos orçamentos das comunidades autónomas do país vizinho. Estas, em 2012, entram na mostra com stands mais pequenos. Murcia, por exemplo, apresenta este ano no stand com 200 metros quadrados, quando em 2011, apresentou-se na FITUR num espaço com mil metros quadrados. O investimento na feira baixou dos 600 mil euros para os 70 mil euros.

Uma redução de espaço que se cola a palavra «crise» no país vizinho. A actividade turística em Espanha, não obstante uma ligeira subida de 2010 face a 2009, apresenta uma contribuição para o Produto Interno Bruto (PIB) muito abaixo dos níveis alcançados no inicio da década (10,2% em 2010, face aos 11,6% em 2000).

FITUR sustentável:
Nem só de números minguantes vive esta FITUR 2012. Nos dez pavilhões afectos ao certame cresceram face a 2011 algumas áreas geográficas, caso de África, com mais 24% de espaço contratado e Europa com mais 3%. Entre as muitas novidades nas representações oficiais, as do Azerbaijão, Bangladesh e Chade.

Tal como em edições anteriores a presente FITUR centra-se em temáticas na ordem do dia para o sector, tal como a sustentabilidade no turismo (FITUR Green) e o seu compromisso com o ambiente e territórios. Outro dos segmentos em destaque prende-se com as cidades/compras, com ênfase para Barcelona e Madrid, no contexto Ibérico, às quais se junta Londres. Três metrópoles que encabeçam os destinos de compras a nível europeu (dados do Globe Shopper City Index-Europe). Uma feira também atenta às novas tecnologias ao serviço do turismo. Neste âmbito, paralelas às mostras decorrem as jornadas FITURTECH (18, 19 e 20 de Janeiro), este ano vocacionadas para o e-commerce.

A mostra aposta, ainda, pelo segundo ano consecutivo, no segmento gay (FITUR LGBT), mercado que representa actualmente 15 % dos gastos com o turismo a nível mundial.

Portugal dá música na FITUR:
Portugal também cabe em Madrid. A presença oficial (pavilhão 8, dos destinos Europeus), para além de apresentar este ano novos responsáveis à frente do Turismo de Portugal (Frederico Costa substituiu Luís Patrão) e secretaria de Estado da Cultura (Cecília Meireles substituiu Bernardo Trindade), diversifica na mostra que traz à capital espanhola. Isto depois de, no ano transacto, a aposta centrar-se no produto gastronomia. Em 2012, os 870 metros quadrados da mostra lusa (em 2011, foram mil metros quadrados), não esquecendo o palato «alertam os cinco sentidos», como tem sublinhado o Turismo de Portugal. Uma descoberta através, por exemplo, da música. O Fado, reconhecido a 27 de Novembro como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, conta com um espaço característico desenvolvido pelo Museu do Fado.

A presença portuguesa apresenta, ainda, a literatura. Para tal o Instituto Camões organizou uma sala de leitura, onde o visitante pode folhear obras traduzidas para o castelhano ou assistir a excertos do documentário «José e Pilar», em torno do Nobel da literatura, José Saramago.

A arquitectura (com trabalhos dos dois prémios Pritzker, Siza Vieira e Eduardo Souto Moura); o design, a animação cultural e a oferta turística, completam esta presença portuguesa na FITUR.
Com a representação oficial do Turismo de Portugal estão em Madrid sete agências regionais de promoção turística e 34 empresas (menos cinco do que na edição de 2011).



  

Comentários Comentários (0)
Não existem comentários
Newsletter 
Fique mais próximo do Café Portugal
nome:
email: