Imprimir conteúdo  imprimir   
Enviar página por email  enviar   

Alto Douro Vinhateiro - Turismo do Douro faz balanço «positivo» de 10 anos de Património da Humanidade

Dez anos após a classificação da região como Património Mundial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o presidente do Turismo do Douro faz um «balanço positivo» da evolução turística. António Martinho refere que se passeiam «cada vez mais turistas» e se «concretizou mais investimento público».

Café Portugal | segunda-feira, 10 de Outubro de 2011

António Martinho, presidente da Entidade Regional Turismo do Douro, lembra que todos os anos, chegam à região, de barco, comboio, autocarro ou transporte privado, milhares de turistas.

António Martinho salienta que este território enfrenta ainda o «grande desafio da promoção para ultrapassar a sazonalidade». A região enche-se durante a Primavera/Verão, com ponto alto nas vindimas, mas depois esvazia-se de turistas.

 Para colmatar isto, o Turismo do Douro vai promover em Novembro um festival gastronómico, que vai envolver os restaurantes, desde a casa de pasto até à cozinha de autor.

O responsável salienta ainda a aposta no turismo de Natureza, como a observação de pássaros que ganha cada vez mais adeptos, ou a caça, que atrai também muitas pessoas, por exemplo, as batidas ao javali.

E adianta que já foram dados passos importantes na animação da região, com eventos como o Douro Film Harvest ou o Festival das Aldeias Vinhateiras.

E, em 2011, ano em que tanto se fala da crise, o responsável referiu que os empresários do Douro apontam para uma «consolidação» da taxa de ocupação na região.

«Não podemos queixar-nos, mas não pode haver por parte de ninguém desculpa de que a crise deve ou pode levar a que descuremos uma actividade tão importante para o Douro como é o turismo», vinca.

Nesta década, António Martinho contabiliza mais turistas mas também mais hotéis e mais alojamento em espaço rural, que resultaram da construção de novas unidades ou da reconversão de outras mais antigas.

Às cerca de 2000 camas em alojamento turístico existentes neste território, vão juntar-se mais 1.399 resultantes da construção de 11 novos empreendimentos de três a cinco estrelas.

Estes projectos estão a nascer no Pinhão, Penajoia, Valdigem, Samodões, Cidadelhe, Régua, Tabuaço. Os hotéis projectados para Paços, Ferradosa e Foz do Douro aguardam novo aviso para apresentação de candidaturas aos fundos comunitários. O investimento global previsto ronda os 50 milhões de euros.

Foram ainda reconvertidas 10 pensões em hotéis de uma e duas estrelas, enquanto mais cinco esperam pela aprovação dos pedidos. O responsável destaca o investimento privado, mas também o público, que está a ser feito na região.

Conjuntamente com autarquias deste território, vão ser criados 14 centros de informação turística, num investimento global de 3,6 milhões de euros. O objectivo é qualificar o destino turístico, através dos serviços de apoio, informação e promoção, distribuídos no território.

A rede será constituída por 14 centros e estará ligada por uma plataforma comum coordenada pela Entidade Regional Turismo do Douro, em parceria com os municípios.

O Alto Douro Vinhateiro foi classificado pela UNESCO como paisagem cultura evolutiva e viva a 14 de Dezembro de 2001.

 

  
Comentários Comentários (0)
Não existem comentários
Newsletter 
Fique mais próximo do Café Portugal
nome:
email: